"> Wonderland: Katy fala sobre seu look Adidas, sua carreira e emojis favoritos – Portal Katy Perry


Wonderland: Katy fala sobre seu look Adidas, sua carreira e emojis favoritos



Ontem (13), a Wonderland liberou a entrevista com Katy Perry, a atual garota da capa da revista. Em entrevista, ela falou um pouco do seu estilo de vida, o que gosta de fazer enquanto está em turnê, sobre suas conquistas na carreira e sobre seus emojis favoritos. Abaixo você confere uma tradução e adaptação da matéria disponibilizada pela Wonderland.

A entrevista começou a tarde pois Katy Perry havia feito um show na noite anterior, ao sentar para a conversa, ela afirma. “Quero dizer, meu dia de trabalho não é de segunda-feira à sexta-feira”, ela suspirou sentando-se no sofá . “Meus dias de show, eu entro no palco às 21h e vou para cama às 3h da manhã. Eu tive que acordar essa amanhã para fazer coletiva e isso” diz ao gesticular para seu rosto, “… eu não posso ir à coletiva de imprensa parecendo uma batata”.

No ano passado, Katy chegou aos trinta. A cantora falou um pouco sobre a transição da vida jovem para vida adulta.

“É um esforço e muitos pensamentos são como desperdícios” Ela costuma olhar para sua vida até o momento como uma checagem de realidade? “Quero dizer, eu costumo usar isso como uma checagem de realidade, mas toda a minha vibe é tipo: se tudo isso for embora amanhã, ou se minha conta bancária voltar a zero, eu só irei recomeçar. Encontrarei um outro caminho. Porque eu sou curiosa sobre a vida, eu absorvo tudo – eu quero aprender tudo. Minha educação realmente começou aos vinte, eu não tive muito (de educação) quando criança, e então eu continuo a me educar através e ir por aí, visitar museus. Quando estou em turnê, eu faço muito disso de sair pra ver nos meus dias de folga. Eu estou fora nas ruas, tendo experiências. Eu visto roupa da adidas preto e branco e um casaco, o que é tedioso e para ninguém a não ser eu. É pra me proteger para então eu ter experiências humanas.” Por que isso? “Porque saindo por aí desse jeito, eu não tenho que fazer nada. Eu tenho que ser de alguma forma atenciosa com as pessoas, eu entendo que elas ficam animadas, interessadas e curiosas e transformam tudo em uma “parada”. Então para que eu esteja realmente conectada com a realidade, eu tenho que tirar essa fantasia e parecer uma porca, não como mendiga, mas a-caminho-da-minha-academia-de-mendiga

No twitter, os seguidores de Katy combinam com a população da Grã Bretanha, provavelmente, Katy tem um ar normal fora dos palcos. Será que ela fica muito parada?

“Isso depende de como eu me apresento. Assim, eu não vou a pé a qualquer lugar. Eu vejo a vida através de um Mercedes Viano. Se eu estou em minha capa de invisibilidade da Adidas, estou sempre usando fones de ouvido, um boné e um óculo de sol, não importa se é noite ou dia porque estes olhos gigantes entregam minha identidade. Eu não respondo ninguém chamando meu nome. E aqui está um grande segredo revelado agora, eu normalmente não estou ouvindo nada, eu tenho meus fones de ouvido para proteção.”

Há um grande abismo entre a Katy Perry da Prismatic e a que usa óculos à noite e ouve absolutamente nada?

“Na verdade, não. Eu sou bastante consistente em ser quem eu sou no centro das atenções e quem eu sou fora dos holofotes. Quando estou no palco, eu sou apenas uma caricatura minha, de certa forma, a exagerada diva “cartoonada”, uma performer. Eu sou super consciente de quem eu sou como pessoa e minha conectividade com a terra e com as pessoas. Não vivendo apenas num bolha, embora a minha bolha seja muito confortável.”

O entrevistador conclui que Katy talvez não saiba coisas da vida de uma “pessoa comum”, porém também afirma que a cantora não se importaria em tentar.

“É muito bom estar numa bolha, mas ninguém quer ouvir sobre experiências de pessoas em seu 1% de talento na bolha, que não diz respeito a eles. Eu vivi muitas vidas.”, continua. “Eu vivi em escalas extremas em alguns aspectos. Eu me fiz mulher, eu fiz meu próprio sucesso, mas eu também vim do nada. Eu não tinha qualquer conexão. Eu cresci, não na pobreza completa, mas em um sistema de classe baixa. Meus pais sobreviveram semana a semana, eles tiveram bons momentos e momentos realmente ruins – a base de argumentos em nossa família sempre foi financeiramente relacionado. É bom ser capaz de ter perspectiva de ambos os lados”

Saindo do lado pessoal para a carreira, a conversa focou no estilo de Katy em seu lado performer. O entrevistador afirma que o palco é o lugar onde a cantora mais libera suas obsessões em diversão, cores brilhosas e infantis.

“Sua concepção está correta”, ela diz. “Eu sou muito colaborativa. Eu tenho um fantástico grupo de pessoas que me rodeiam para logística e fins criativos e eles realmente executam todos os meus sonhos, se eles puderem. Se é viável, então eles farão.” Existe algo que você já sonhou para show e não pode ser realizado? “Eu não me lembro da última vez que eu não fui capaz de fazer algo, que soa como uma declaração egoísta louca. Mas eu realmente trabalho muito, muito difícil chegar neste lugar. Além disso, é como um mntante combinado de trabalho duro. Quando você fica mais velho, você tem mais bocas para alimentar, há mais pressão – Eu tenho algo como 127 pessoas na turnê comigo.”, completa. “Bem, eu aprendi algo fantástico. Eu aprendi a delegar”

Com tantas conquistas, quais seriam as metas atuais de Katy Perry?

“Sempre tem evolução. Não é o nível de sucesso que têm sido a meta – Eu acho que tudo o que é verdadeiro, honesto e conjuntivo sempre será bem sucedido. Para mim, é importante ser corajosa e tentar coisas novas. Um monte de pessoas têm ideias sobre mim, e isso é bom, eu não estou com pressa para provar nada para eles. Eu me sinto como um camaleão, eu posso fazer muitas coisas diferentes. Eu ainda não mostrei tudo” Quando a turnê acabar? Ela sorri. “Meu objetivo para o verão é caminhar até o mercado agricultor na minha cidade natal, e pegar fruta. Eu sei, muito normal, e muito doce”

Para finalizar, o entrevistador e Katy discutiram seus emojis favoritos. “Ouça”, Katy se curva para dizer. “Eu sinto que eu realmente preciso de uma atualização. Eu gosto do anjo porque eu o uso como um querubim. Eu uso muito a paleta de artistas. Eu gosto dessa garota, a menina “desleixada”. Eu gosto de ir fundo nos emojis certo, sabe? Fundo nos certos”

0 Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira também Entrevistas