"> Entrevista de Katy para a Marie Claire US – Portal Katy Perry


Entrevista de Katy para a Marie Claire US



Na edição de Janeiro da revista Marie Claire US, Katy Perry vem estampando a capa junto com uma entrevista exclusiva para a revista. Confira a entrevista traduzida pela nossa equipe:

KATY PERRY TEVE UM INFERNO DE ALGUNS ANOS. Em caso de você ter perdido isso: No meio de uma turnê de sucesso para um multi-platinado álbum, houve um divórcio, um passeio ao lado escuro, em seguida um novo relacionamento, um rompimento, uma renovada e um retorno ao lado mais leve – tudo o que levou o lançamento de seu terceiro álbum em Outubro, Prism, que desde então conseguiu o topo do charts com “Roar” e “Unconditionally” e estreando em #1 com a maior semana de vendas de sua carreira. Entendeu tudo isso?

Ser Perry é um esforço vigoroso, mesmo quando ela atira chantilly para fora do sutiã e cantando sobre beijar uma garota e sonhos adolescentes para uma multidão de fãs chamados “Katycat“. Em seu ultimo álbum, Teenage Dream, amarrado com Bad de Michael Jackson com mais hits em 1º (cinco) de um mesmo álbum, e seu império multimilionário inclui acordos de parceria com CoverGirl, cílios da Eylure, Popchips, três perfumes de sucesso (Purr, Meow, e Killer Queen!), e dublando “Smurfette” nos filmes ‘The Smurfs’ no cinema. Ela não está indo de vagar.

Eu nunca vou ser preguiçosa, porque lá fora estão 500 outras pessoas esperando em linha por essa posição,” diz ela.

Hoje, a cantora e compositora de 29 anos está em ensaios no estúdio Center Staging em Burbank, California, para sua turnê que começara em Maio e irá viajar pelo mundo todo até 2015. Em um moletom com zíper Aviator Nation desbotado, emprestado do namorado John Mayer e moletom com estampa de leopardo, Perry se parece mais como uma atleta fora da pista de jogos do que uma Rainha do Pop Adolescente dos Sonhos. Em sua volta, dançarinos e backing-vocals se aquecendo, e a banda ensaiando Roar, no qual Perry vai apresentar no fim da semana no programa Saturday Night Live. Sua assistente carrega quatro grande sacos pretos, explicando que esses são roupas que Perry estará dando; membros da equipe chamam um número e se revesam para atravessar a montanha de roupas que estão fora da bagagem de Perry. (Ele é generosa com bilhetes para concertos, também. Na turnê, ela anda de bicicleta ao redor com um boné de baseball e suores com 10 bilhetes em seus bolso para dar as crianças inocentes.)

Se você quer saber como Perry tem tempo para a vida pessoal com todos esse império construído, muitas vezes isso faz parte da empresa também.

Eu sinto que meu truque mágico secreto, que me separa de muitos dos meus colegas, é a coragem de ser vulnerável e honesta. Acho que você se torna mais compreensível quando você está vulnerável. Ao tentar se vender como uma estatua sobrenatural que não pode ser fodida, eu sempre volto para as escrituras: O orgulho vem antes da queda

Katy colocou vários pensamentos em como ser relacionável – ela começou com a famosa Katheryn Hudson, a filha de pastores com um contrato gospel, cujo seus pais queriam manter ela afastada das coisas do século e perversas. Depois de conseguir seu diploma, Perry reinventou a si mesma, se mudando para Los Ageles aos 17 anos para começar uma carreira como aquela de Fiona Apple, uma de suas influencias musicais. Até o momento ela tinha 23 anos, três gravadoras tinham deixado ela e dois carros foram recuperados.

Isso construir um monte de personagens, tendo que ganhar tudo isso, mais e mais. Uma vez que você tem isso, você é tão agradecido.

Sentada em uma mesa de piquenique, ela desliza seus Ray-Bans pretos e lança um olhar cansado para o estacionamento, onde os fotógrafos podem estar esperando. “Pooparoozoo“, diz ela brincando. Hoje em dia ela pode apreciar o lugar em que está, longe da angústia emocional que experimentou depois do fim de seu casamento com o ator Britânico, Russell Brand, via mensagem no final do ano de 2011. Do lado de fora, o fracassado romance do casal parecia familiar – ainda outro, em turbilhões de relacionamentos entre celebridades que acabam depois de 14 meses. Para Perry, isso levou algumas das horas mais sombrias de sua vida.

Havia duas semanas da minha vida depois que eu descobri a verdade sobre meu casamento onde estava como ‘OK, tudo certo. Eu não posso sentir isso. Isso é muito intenso agora’” diz Perry, empurrando seus óculos de sol firme contra seu rosto. “Eu estava como apenas comendo Flamin’ Hot Cheetos e bebendo, e é isso.

Um produtor de longa data de Perry, Greg Weels, diz que Perry estava capacitada para traduzir aquela dor dentro de uma das músicas de Prism, “By the Grace of God“, no qual Perry disse que estava inspirada pelo momento quando ela considerou acabar com tudo. “Eu acho que ela se sentiu tão chutada na cabeça e tão envergonhada publicamente por ter sido pedida em divorcio via mensagem,” diz Weels. “Ela estava tão para baixo e estava pensando sobre nunca sair do banheiro.” Inicialmente, Perry tinha um álbum diferente em mente.

Eu pensei que isso estava indo um pouco escuro demais – acústico ou estilo Fiona Apple. Você sabe, uma vibe ‘inferno não tem fúria como uma mulher desprezada.’” Mas depois da gravação de “By the Grace of God“, ela se sentiu como se ela estivesse pronta para começar um novo capítulo. “Existem dois caminhos para você seguir: você pode cuidar de si mesma ou se destruir. Eu tinha ido para o caminho da destruição antes, e aquilo não funcionou para mim,” diz ela. “Você cava fundo além das cicatrizes e encontra aquele tecido mole novamente, e você massageia e alimenta isso, e traz para vida, de pouco em pouco, servindo a si mesma através daquilo. Eu fiz isso através de caminhadas e vitaminas, terapia e orações, e bons amigos.

Ela colocou sua equipe musical, incluindo produtores bem sucedidos como Max Martin e Dr. Luke, em seu hotel favorito, San Ysidro Ranch, um resort de luxo campestre fora de sua cidade natal, Santa Barbara – California, e começou a tralhar. SANTA BARBARA é o lugar que Perry se torna Katheryn Hudson,

No qual é muito importante porque Katheryn Hudson é aquela que queria trabalhar com música. Eu tenho que me concentrar novamente, para respirar de verdade.

Seus pais evangélicos, Keith Hudson e Mary Perry Hudson, e os irmãos, Angela Hudson e David Hudson, se mudaram e continuam sendo uma parte integrada a vida dela. (Angela, instrutora de yoga, acompanhou ela em turnê e é sua vizinha em Los Angeles) Katy conta que seus pais se conheceram quando Mary, uma “debutante fumadora de erva“, e jornalista freelance, estava cobrindo um evento em Las Vegas que Keith, hippie ácido e futuro pregador, estava assistindo.

As pessoas não entendem que eu tenho uma boa relação com meus pais – tipo, isso pode existir,” ela diz. “Eles não fazem nenhum julgamento. Eles não concordam necessariamente com tudo que eu faço, mas eu não concordo necessariamente com tudo que eles fazem. Eles estão em paz com isso – rezar por mim é o que eles fazem. Eles são fascinados com a ideia de que criaram alguém que tem toda atenção em cima dela. Meus pais são republicanos, eu não sou. Eles nem votaram no Obama, mas quando eu fui convidada para cantar na inauguração, eles estavam tipo ‘Nós podemos ir’. E eu estava tipo ‘Não, vocês não podem. Eu amo vocês demais, mas isso não é necessário.’ Eles entenderam, mas eu estava tipo “Como vocês ousam?” de algum modo.

Katy deixou para trás seu passado e encontrou espiritualidade através da escrita de Eckhart Tolle (“O Poder do Agora” influenciou a música “This Moment“); praticar Meditação Transcendental (“a melhor coisa que tirei de bom do meu relacionamento anterior, porque foi meu ex-marido que me apresentou“), e terapia.

Eu não acredito em um céu, ou em um inferno, e nem mesmo num homem velho sentado em um trono. Eu acredito num poder superior, algo maior que eu, poque isso me mantém responsável. Prestação de contas são raras de encontrar, especialmente com pessoas como eu, porque ninguém quer te contar algo que você não quer ouvir. Eu, na verdade, não confio em pessoas que começam a dizer mentiras, porque elas ficam com medo de me contar a verdade. Eu não sou budista, não sou hindu, não sou cristã, mas eu ainda sinto que tenho uma conexão profunda com Deus. Eu rezo o tempo inteiro, pelo meu auto-controle, pela humanidade. Há muita gratitude nisso tudo. As vezes apenas dizer “obrigado” é melhor que pedir por coisas.

Otimismo é a linha direta do novo álbum da Perry, repleto de hits dançantes e músicas levemente românticas em vez de músicas pós-divórcio. Na verdade, a nova Perry ainda é romântica (“Eu não quero viver uma vida sem amor“), e suas músicas estão focadas no relacionamento vai-e-vem com Mayer.

Eu dei um tempo com meu namorado. Eu não queria. Foi um jato de água fria para procurar no meu interior o que estava errado comigo. Isso foi o que me levou para esse novo despertar, essa percepção, se eu não me amar, eu não serei capaz de manter o amor que eu quero. Eu ainda tinha que lidar com todas as coisas do meu ex-marido.” Perry nunca chama Brand pelo nome: “É quase como se se eu ficasse falando sobre esse assunto, iria parecer que eu realmente me importava com isso. Eu não me importo.” Ela disse que quer ter filhos, mas “eu definitivamente ainda não estou pronta, e eu não posso planejar isso com tanta antecedência. Quando eu decidir ter uma família, eu só vou querer ser mãe por um tempo… [Brand] realmente queria que eu tivesse filhos, e eu sabia que não estava pronta – Eu acho que isso estava fora de controle. Eu acho que era parte de, se eu tiver um bebê, então eu teria que me sacrificar – eu teria que ficar mais em casa. Eu realmente queria, mas sabia que não estava pronta para isso. Não era como ‘Ei, vamos ter um bebê porque estamos apaixonados.’“.

A música “Love me” é sobre aquela aceitação que ela diz que era inexistente por um tempo. “Se você põe seu amor-próprio nas mãos de outra pessoa, então você não pode controlar quando ele quebrar ou quando jogarem ele fora. Eu escrevi uma coisa depois de uma sessão com a minha terapeuta: ‘Eu não quero me perder por medo de perdê-lo.’” Ficar com Mayer não era o objetivo, era mais um resultado feliz do aprendizado para amar a si mesma.”Ele é um parceiro fantástico“, diz ela. “Eu sou fã dele há muito tempo. Ele tem uma mente brilhante… É um relacionamento energizante, maduro.“. Perry chama sua assistente, que entrega parte do café da manhã, uma sacola cheia de pílulas, uma foto em que Perry tweetou para ela mais de 47 milhões de seguidores – que na época, era mais do que qualquer um no mundo.

Eu fui ver um médico chinês que prescreveu vitaminas e suplementos para o meu sangue. É uma coisa do tipo perua rica, mas quando usei pela primeira vez, senti minha mente iluminada como se eu tivesse 17 anos. Isso realmente mudou minha vida. Deixou minha mente muito rápida, meu corpo ficou ótimo – e minha pele!

O regime era parte de um período de transição “por onde você realmente atravessa a porta do crescimento. É como você percebe, o que era legal para mim aos 26, já não é mais tão bom para mim.” Toda aquela transformação foi para Perry um bom incentivo para escrever músicas – o suficiente para um álbum duplo que ela pensou que faria. Em vez disso, ela terminou cedo, rugindo do portão.

Aprendi tantas lições incrivelmente valiosas, e tendo recebido essas canções de presente dessas experiências que as pessoas levam como suas próprias mensagens e que as inspiram ou que as fazem passar por coisas – foi um mal que veio para o bem… Às vezes eu sinto que eu sou a garota positiva entre meus colegas do pop, mas estou bem com isso. Eu sou feliz, eu sou a luz.

O QUE ESTÁ NA LISTA DE COISAS A FAZER ANTES DE MORRER DELA

Visitar Machu Picchu; entrar nas pirâmides do Egito e descer o Nilo; aprender espanhol; aprender crochê (“Parece tão terapêutico – dê-me umas agulhas agora!“); trabalhar em um jardim (“Eu já tenho três jardins com ervas e vegetais“); comprar uma passagem para o espaço; “conectar um trailer ao Ford Raptor do meu namorado e acampar em Yellowstone.

COM O QUE ELA CAUSA BOA IMPRESSÃO:
Chanel e boas férias.

CONFIANÇA:

Eu sou confiante por causa da minha música. Quando você é confiante, você não acha que tem que procurar por aprovação o tempo todo.

NUNCA SAI DE CASA SEM:

Lenços umedecidos sem perfume e brilho labial By Terry. Eu até gosto de Howard Hughes porque eu não sou fã de germes. Ficar doente é uma falha porque eu desaponto muitas pessoas se eu tiver que cancelar um show… E eu jogaria centenas de milhares de dólares pelos ares.

EXTRAS EXCLUSIVOS

Ao redor do mundo com Katy Perry:

Onde quer que ela esteja em turnê – o que ela chama de “uma grande viagem de estrada” – Katy Perry se assegura de agendar diversão com a sua equipe de 115 pessoas. “A qualquer hora há algo divertido para fazer, tiramos vantagem total disso,” ela diz. “Nós provavelmente temos as melhores turnês de todas – eu desafio a turnê de qualquer outro. Geralmente, eu acho que nós superamos.” Ela também convida talentos como Robyn, Marina and the Diamonds, Janelle Monáe, Ellie Goulding, Oh Land e Natalia Kills.

Coisas que eles já fizeram ao redor do mundo que podem inspirar sua lista fantasiosa de coisas a fazer antes de morrer:

Argentina:Nós vimos um show autêntico de tango e bebemos Malbec.

Bali: “Nós tínhamos 10 dias entre Cingapura e Hong Kong, e em vez de voar com todo mundo de volta a Los Angeles, eu levei todos ao Amanresorts. Nós fizemos rafting e fogueiras na nossa piscina particular.

Brasil: “Nós fizemos o Rock in Rio, e eu aluguei um iate porque queríamos fazer uma festa depois, mas o Rock in Rio vai até 3 da manhã, então a festa começou umas 3 ou 4. Estávamos cansados da viagem, então estávamos sem lógica nenhuma.

Canadá: “Nós fomos ao Calgary Stampede, onde nós todos nos vestimos de cowboys and cowgirls.

Dubai: “Havia uma competição de skydiving—como as Olimpíadas de skydiving [Campeonatos de Paraquedismo Mundial]— e todo mundo estava pulando de aviões todos os dias.

México: “Nós meditamos nos templos da pirâmide Teohuitacán.

Nova Zelândia: “Nós pulamos de bungee jump e fomos às Cavernas Glowworm. Você desce de rapel bem no coração da montanha, e as coisas que parecem constelações sobre você são, na verdade, feitas de pequenos vermes.

Texas: “Nós alugamos o Schlitterbahn, que é considerado o melhor parque aquático do mundo.

0 Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira também Entrevistas